Ed. Business Center

Av. Colares Moreira, Sala 714,
Renascença II, São Luís - MA

UDI - Medical Jaracaty - 2º Andar

Av. Professor Carlos Cunha,
Jaracaty, São Luís - MA

5 características marcantes do paciente com perfil facial classe II

1 – Ausência de projeção da mandíbula e queixo

Provavelmente é a característica mais marcante e mais fácil de ser identificada nesses casos. Por conta do pouco crescimento/desenvolvimento da mandíbula, esses pacientes demonstram o queixo mais pra trás, consequentemente o toque dos dentes de baixo também estão atrás dos dentes de cima, então a mordida fica incorreta.

2 – Mandíbula pouco marcada

Justamente pela falta de projeção para frente, a mandíbula não apresenta definição; os ângulos e as bases mandibulares são mascarados pela presença de tecido mole, o que pode sugerir até que o problema possa ser excesso pele, tecido subcutâneo e gordura, entretanto, mediante avaliação adequada, pode-se constatar que a falta de suporte ósseo nessas regiões é a origem do problema.

3 – Sorriso gengival

Bem comum nos pacientes classe II, é a associação do problema de falta de projeção de mandíbula com excesso vertical da maxila, o que expõe outro problema do paciente que é o sorriso gengival. Nada mais é que “mostrar no sorriso, além dos dentes, uma grande faixa de gengiva”, deixando o sorriso pouco estético. Para as mulheres, mostrar um pouco de gengiva ao sorrir é até interessante e belo, mas em excesso, pode causar uma desarmonia com o resto da face. Para os homens, o ideal é não haja exposição de gengiva.

4 – Falta de selamento labial

Em repouso, ou quando não estão sorrindo, os lábios devem se encontrar de forma passiva, sem contração da musculatura superior ou inferior. Nem sempre isso é possível nos pacientes com perfil facial II que possuem sorriso gengival.

5 – Sulco mentolabial profundo

Sabe aquela região entre o lábio inferior e o queixo, visto de perfil, que dá um charme na face da pessoa? Pois é, essa região recebe o nome de sulco mentolabial ou labiomentual. Nos pacientes classe II, essa profundidade é a mais acentuada, profunda, inclusive podendo “passar a impressão” que o lábio inferior está muito aumentado em relação ao lábio superior. Isso acontece justamente porque o queixo está mais trás no rosto do paciente.

Gostou? Agora tenho certeza que você consegue identificar facilmente os pacientes padrão facial II que são indicados para realizar a cirurgia ortognática.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima